DADOS DO CAGED Londrina registra retração de 103 postos de trabalho em maio

DADOS DO CAGED Londrina registra retração de 103 postos de trabalho em maio - TvNaRua / NossoClick.com - O Portal da Família DADOS DO CAGED Londrina registra retração de 103 postos de trabalho em maio - TVNaRua/ NossoClick.com - O Portal da Família
DADOS DO CAGED Londrina registra retração de 103 postos de trabalho em maio

Londrina perdeu 103 postos de trabalho no mês de maio. Em abril, foram 84 vagas perdidas. O comércio foi o setor que mais fechou vagas. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta terça-feira (20) pelo Ministério do Trabalho. 

O comércio perdeu 197 vagas. No entanto, houve um aumento de 85 postos de trabalho na Construção Civil e 23 vagas no setor de Serviços. 

A cidade contabiliza 154.574 de trabalhadores com carteira assinada, o que corresponde 5,99%. Foram registrados 5.516 admissões (49,54%) e 5.619 (50,46%) desligamentos, num total de 37.521 estabelecimentos.

A última alta de empregos registrada em Londrina foi em fevereiro, quando a cidade ganhou 473 postos de trabalho. Em março, a situação mudou drasticamente, foram 489 vagas perdidas. 

Em relação às principais cidades que compõem a Região Metropolitana de Londrina, Rolândia registrou o maior aumento de postos de trabalho. Foram 218 vagas. Seguida por Arapongas, com 48 vagas, e, Cambé, com 20 postos. Já Ibiporã, perdeu 9 vagas de trabalho. 

Paraná 

O Paraná fechou o mês de maio com saldo positivo de 2.379 postos de trabalho. Foram 92.293 contratações e 89.914 demissões. Embora tenha registrado saldo positivo, o número é bem menor em comparação ao mês de abril, que contabilizou 6.742 postos de trabalho no estado. 

Regiões 

A região Sul foi a que menos gerou empregos, pelo contrário, houve retração (-10.595). Embora o Paraná permaneça com saldo positivo de empregos, Santa Catarina perdeu 614 vagas e o Rio Grande do Sul teve uma retração de 12.360 vagas. 

A região Norte também registrou perdas de postos (-1.024). A região Sudeste foi a que mais gerou empregos no mês de maio. Foram 38.691 novos postos de trabalho formal, com destaque para Minas Gerais (+22.931), e São Paulo (+17.226). A segunda região com maior crescimento no nível de emprego foi o Centro-Oeste, com 6.809 novos postos, seguida do Nordeste, com saldo positivo de 372 vagas. 

Nível nacional 

O Brasil registrou 34.253 novos postos de trabalho formal abertos no mês de maio, que representa um aumento de 0,09% em relação ao mês de abril. É o segundo mês seguido e a terceira vez neste ano, que há registro positivo de empregos no país. Conforme avaliação do ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, aos poucos, o país está recuperando os empregos fechados nos últimos anos. 

"O governo federal tem feito um esforço grande e constante para adotar medidas que incentivem a geração de empregos. E o resultado nós temos visto no desempenho do Caged desde o ano passado, mas, sobretudo, nos últimos meses", afirma. 

No Twitter, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, postou que o resultado do Caged confirma as previsões da equipe econômica de retomada gradual do mercado de trabalho. "Na retomada do crescimento, a economia demanda algum tempo para atingir o nível de emprego que desejamos. O importante é que o rumo está certo", postou. Para o ministro, "como em todas as economias, as empresas levam algum tempo para voltarem a contratar novos trabalhadores e reduzir a taxa de desemprego", completou. 

Setores 

O setor da Agropecuária teve um crescimento de 2,95%, com 46.049 postos de trabalhos gerados. As culturas responsáveis pelo aumento de postos foram o café, em Minas Gerais; a laranja, em São Paulo; e a cana-de-açúcar, em São Paulo e no Rio de Janeiro. 

Os outros setores com desempenho positivo foram os Serviços, que tiveram acréscimo de 1.989 postos (+0,01%); a Indústria de Transformação, com 1.433 vagas a mais (+0,02%); e a Administração Pública, que gerou 955 vagas formais (+0,11%). Tiveram saldo negativo os setores do Comércio, que fechou 11.254 postos (-0,13%); da Construção Civil, com 4.021 vagas a menos (-0,18%); da Indústria Extrativa Mineral, com resultado negativo de 510 postos (-0,26%); e dos Serviços Industriais de Utilidade Pública, que fecharam 387 vagas (-0,09%).

Visualizações 357
Fonte: Bonde
Por: Redao
Data: 21/06/2017 00h38min


Hospital do Câncer de Londrina


Velocimetro RJNET
Playvision
CONTATO
contato@corneliodigital.com
antonio.zaneti@gmail.com
(43)9920-1893


TV Na Rua / CornelioDigtal / BandDigital- 2007 - 2016