10 coisas que os cachorros odeiam nos humanos

10 coisas que os cachorros odeiam nos humanos - TvNaRua / NossoClick.com - O Portal da Família 10 coisas que os cachorros odeiam nos humanos - TVNaRua/ NossoClick.com - O Portal da Família
10 coisas que os cachorros odeiam nos humanos

10 coisas que os cachorros odeiam nos humanos

Victória, uma de nossas leitoras Vips, nos enviou este artigo que gostei muito.

Existem muitas coisas que os cachorros odeiam e que nós inconscientemente fazemos na nossa rotina. É por isso que no novo vídeo do Perito Animal nós explicamos quais são as 10 coisas que os cachorros odeiam nos humanos e porque isso acontece. 

Vale lembrar que essa é uma lista de sugestões e alguns cachorros podem odiar coisas que outros gostem e alguns podem simplesmente aceitar porque são submissos. 

 1. Os ruídos e os cheiros fortes

O secador de cabelo, o aspirador, os carros, os foguetes, os espirros, uma tosse ou algo que nos cai das mãos e faz muito barulho, qualquer ruído forte incomoda e assusta os cachorros. é algo normal, visto que têm um ouvido excepcional que lhe permite ouvir sons que a nós nos escapam e além disso, também possuem uma percepção das vibrações muito mais sensível que a nossa. Evidentemente, existem cachorros que foram criados desde filhotes com ruídos fortes e se acostumaram a isso, portanto não se assustam, mas o certo é que a maioria deles tem medo e odeiam estes barulhos fortes.

O tema dos cheiros fortes também é algo delicado para os cães. Tal como o ouvido, o seu olfato é mil vezes mais potente que o dos humanos. Assim sendo, qualquer odor que a si lhe pareça forte para o seu cachorro será realmente desconfortável. É verdade que se se tratar do cheiro da comida não os incomoda tanto. Mas imagine os cheiros dos produtos químicos, de higiene pessoal e de limpeza da casa. São odores muito fortes que irritam as fossas nasais dos nossos peludos, por isso facilmente podem espirrar e fugir para outros lugares.

Devemos procurar não assustar o nosso cachorro com ruídos fortes sempre que o conseguirmos evitar ou tentar acostumá-lo a isso. Também há que evitar utilizar produtos com cheiros fortes na presença do nosso cachorro e ventilar bem a zona antes dele entrar nela.

2. Falar muito e não usar a nossa linguagem corporal

Muitas vezes falamos com o nosso cachorro e isso está bem, mas se o fizermos em excesso ou se enquanto falamos não utilizamos gestos e palavras curtas que o cão possa chegar a aprender e relacionar com alguma coisa, estamos apenas a chatear o nosso amigo. Ele não perceberá nada do que dissermos e no final acaba por ficar nervoso. Preferem que comunique com eles com a sua linguagem corporal e se usar palavras ou sons, o melhor é que sejam poucos para que eles os possa, aprender durante o treinamento e aprendizado desde filhotes.

É verdade que os cachorros entendem as emoções básicas dos humanos, mas fazem-nos através da linguagem corporal e do tom de voz que utilizamos. Definitivamente, não entendem a nossa linguagem verbal completa, apenas aquelas palavras básicas que lhes ensinamos. Portanto, se falarmos muito e não usarmos a linguagem corporal isso pode confundi-los. Devemos procurar aprender a falar com o nosso cachorro e a comunicar com ele com o nosso corpo. Faça um teste, passe um dia inteiro sem lhe dizer uma única palavra. Apenas gesticule, sem exagerar, e tente comunicar com ele através de linguagem gestual. Pode usar algum som, mas tente não dizer nenhuma palavra e verá que se conseguem comunicar perfeitamente e que o seu fiel amigo fica mais relaxado.

3. Nossa energia negativa e dar bronca sem que percebam porquê

Pode acontecer que quando estamos de mau humor ou nos chateamos com o nosso cachorro porque fez alguma asneira, que lhe transmitamos essa negatividade como faríamos com uma pessoa. Como já comentamos, os cães não entendem o que lhes gritamos e a maioria das vezes também não entendem porque o fazemos. Evidentemente é algo que os chateia muito, sentem-se mal, recebem energia negativa e não sabem porque isso acontece.

Temos que aprender a evitar erros comuns ao dar bronca a um cachorro. Um deles é fazê-lo sem que possa entender o porquê, visto já ter passado muito tempo e outro erro é ser agressivo. Existem formas muito mais eficazes que os farão entender-nos melhor.

4. Falta de estrutura

Os cães gostam de ter uma rotina, embora a possa variar para que não vire muito aborrecida, e gostam de ter uma estrutura, visto que se sentem mais seguros e tranquilos. Um cachorro desestruturado, sem um mínimo de adestramento básico, acabará sendo um cachorro pouco feliz, visto que terá inseguranças e mal-entendidos tanto com a família como com outros cachorros ou animais. É por isso que outra coisa que não lhes agrada é a falta de estrutura na sua família.

Esta estrutura e aprendizado devem cobrir vários aspetos, desde quem lidera o grupo até aos passeios e à comida, entre outras coisas. Para isso, será melhor que primeiro se instrua sobre o adequado adestramento para o seu cachorro.

5. Olhá-los fixamente nos olhos, pegá-los na cara e dar-lhes palmadinhas na cabeça

Os cães realmente não gostam nada que os olhemos fixamente nos olhos. Se alguma vez o fez, deve ter notado que evitam o olhar quando o fazemos, mas talvez se tenha encontrado com um que aguenta mais o olhar e inclusivamente rosna. O contato visual prolongado para os cães equivale a desafio, por isso se afastam o olhar passam a ser submissos e por outro lado se o aguentam e o outro afasta, será ele o dominante. É perigoso fazer isto aos cães que não conhecemos, podem ficar agressivos. Uma coisa é que se cruzem os olhares, outra coisa é fixar o olhar. Assim sendo tente não manter o olhar fixo no cão.

Além disso, outra coisa que fazemos muitas vezes é pegar na cara deles e abanar e dar palmadinhas na cabeça. Isso é um erro, eles não gostam muito disso. Ao pegar a sua cara eles ficam bloqueados, sentem-se presos, lembre-se que é algo que eles não fazem. Os tapinhas na cabeça são desconfortáveis e inclusivamente podem fazer-lhes mal. Ao colocar a mão por cima deles, eles percebem isso como algo dominante, se além disso der uns tapinhas na cabeça eles ficam muito irrequietos. São gestos que para nós são normais, mas para eles têm um significado diferente, por isso devemos tentar não o fazer. Se quiser aproximar e saudar um cão, o melhor é que se aproxime um pouco de lado, sem o olhar fixamente e estendendo um pouco a mão permitindo que ele a cheire e o conheça, assim que o aceitar pode fazer um carinho.

6. Beijos e abraços em excesso

Existem muitas coisas que para nós são normais e gostamos de fazer, como por exemplo abanar, abraçar e dar muito beijos aos nossos patudos, mas eles não interpretam tudo como nós. Entre cães não se abraçam nem beijam como nós o fazemos. Para eles o fato de os beijarmos e abraçarmos constantemente torna-se algo muito confuso.

Por um lado, com os abraços eles ficam bloqueados e para eles colocar as patas em cima de outro significa que quer estabelecer o seu domínio, podem vê-lo como um jogo até certo ponto. Embora existam cachorro muito afetuosos e além disso submissos que aceitam abraços, a maioria deles não toleram isso muito bem. Por outro lado, os nossos beijos são como as suas lambidas e eles lambem por outros motivos, uma deles é quando querem mostrar submissão, por isso às vezes quando os beijamos podem entender que somos submissos. Assim sendo, estamos enviando sinais confusos e isso destabiliza o cachorro e faz com que se sinta desconfortável.

7. Não usar bem a guia e passear com pressa

É muito frequente que existam coisas que fazemos mal quando passeamos o nosso cão, mas temos que aprender a corrigir isso se queremos desfrutar dos passeios e não fazer com que o nosso cão se sinta mal. Às vezes mantemos a guia tensa, vamos dando puxões constantemente, não o deixamos cheirar o seu entrono, etc. Por vezes também passeamos muito poucos minutos e temos presa por chegar em algum lugar ou por terminar o passeio.

Não usar bem a guia e ter presa durante o passeio é algo que definitivamente o nosso cão não acha muita piada. Necessita de bastante tempo para explorar o seu meio envolvente e relacionar-se com os demais. Vai querer cheirar, parar e fazer as suas necessidades e brincar com outros, isso é normal. Temos que ser conscientes das necessidades básicas do nosso cão e aprender a usar bem a guia e fazer passeios tranquilos em que ele se possa divertir.

8. Vesti-los desnecessariamente

Claro, se fizer muito frio ou precisarmos de cobrir alguma parte do corpo do nosso cão por alguma ferida ou problema, pode vesti-lo com uma camisola ou com roupa especial para eles, inclusivamente botas especiais, isso está certe e em alguns casos é recomendável. O que os nossos amiguinhos não suportam, pelos menos a maioria deles, é que os vista só porque sim ou com coisas simplesmente decorativas e nada funcionais. Eles não se sentem confortáveis se não puderem andar bem ou se têm algo que não podem remover quando quiserem. Alguns cães aprendem a tolerar isso, mas muito não entendem porque é que alguém haveria de os vestir com essas coisas, inclusivamente sentem que outros cães não se aproximam deles, algo bastante normal mas que lhes causa repulsa e portanto a longo prazo um mal-estar emocional.

Lembre-se que o seu cão não é um humano, tente não humanizar visto que isso só irá trazer desequilíbrios e problemas. Vista-o se realmente for necessário.

9. Lava-los muitas vezes

Para nós é normal tomar banho todos os dias, para os cães não é assim. Eles mantêm-se limpos à sua maneira, precisam do seu odor corporal para comunicar com os demais. Assim sendo, se os lavarmos muitas vezes não lhes estamos fazendo nenhum favor. Uma coisa é que se tenha sujado muito e você o limpe, outra muito diferente é que lhe dê banho a regularmente com xampus com cheiros intensos. Os cachorros não gostam nada disso, gostam de cheirar a eles mesmos e os cheiros fortes dos produtos que usamos podem ser incômodos para eles.

É bom que dê banho ao cachorro em casa ou no cabeleireiro canino de vez em quando, mas não o podemos fazer muitas vezes porque, além de precisarem do seu cheiro para comunicar, estamos danificando as camadas de proteção natural da pele e podemos acabar provocando algum problema de saúde. Podemos limpá-los, mas sem exagerar.

10. Ser aborrecido ou estar ausente

Os cães não suportam estar aborrecidos, querem fazer coisas e partilhar o seu tempo consigo. Assim sendo, não gostam nada que não lhes faça caso e que seja aborrecido. Como é óbvio odeiam quando você está ausente, nunca estão seguros de quando você vai voltar ou se o fará, daí a enorme alegria que têm quando regressa embora só tenham estados uns minutos sem o ver. Mas o pior para eles é quando o seu companheiro humano nunca regressa. O pior que lhes pode acontecer é que o abandone, nunca entenderão o porquê e custa-lhes muito seguir em frente sem o seu dono.

Agora já sabe, não seja aborrecido e faça muitas coisas com o seu fiel companheiro, além disso procure estar o menor tempo possível ausente, mas sobretudo, nunca o abandone!

Visualizações 172
Fonte: Perito animal
Por: Redao
Data: 07/07/2017 12h25min

TV Na Rua / CornelioDigtal / BandDigital- 2007 - 2016